Verdejante: Advogado Gilson Alves é escolhido para ser pré-candidato a vice de Péricles Tavares.

politica-mãos

Os partidos políticos que dão sustentação ao governo municipal em Verdejante-PE (PMDB, PSD, PTN, PSL e PSC), através dos seus respectivos presidentes, e com o apoio irrestrito dos vereadores Luiz Sanfoneiro, Adelaide, Dedé da Lagoa e do decano José João de Sá, decidiram definir o nome do advogado Gilson Alves como pré-candidato a vice-prefeito na chapa do atual prefeito Péricles Tavares, que desponta como pré-candidato à reeleição naquele município.

Dr. Gilson Alves, como é conhecido na região, tem 47 anos, é advogado militante há quase duas décadas e desde a sua adolescência participa ativamente da política de Verdejante, já tendo exercido inclusive um mandato de vereador, além de ser o atual presidente municipal do PSD.

Fonte: Da redação do Blog Alvinho Patriota

Clebel Cordeiro realizou, nesta sexta-feira, reunião com os marqueteiros de sua campanha e seu grupo político, na sede da CDL em Salgueiro.

 

20160429_200318 20160429_200347

Na noite desta sexta-feira (29), o pré-candidato à disputa eleitoral para prefeito do Município de Salgueiro, Clebel Cordeiro (PMDB/PE), realizou uma reunião com os marqueteiros responsáveis pela sua campanha eleitoral juntamente ao seu grupo político, que cada vez mais se apresenta firme no sentido de se mostrar como a chave que abre o cadeado que atualmente trava o desenvolvimento da cidade.

 

A ocasião foi marcada pela presença de várias autoridades políticas, tais como: Dr Chico Sampaio, candidato à vice-prefeito na chapa encabeçada por Clebel, os vereadores Auremar, Ednaldo Barros, Augusto Matias, entre outros. Contou também com a presença de vários  pré -candidatos à vereador, como Luiz Monteiro Lima Filho (Luizinho), Dr George Arraes e Flavinho Barros, entre outros cidadãos salgueirenses que apoiam o grupo político formado por Clebel e Dr Chico Sampaio.

Os marqueteiros contratados para gerenciar a campanha de Clebel, são os responsáveis pelas campanhas do Prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio. Na reunião demonstraram bastante ânimo e competência para gerenciar e ajudar o candidato nesta corrida eleitoral. Demonstraram também as metas, metodologia e plano de governo, que acabam por firmar mais ainda o nome de Clebel e Dr Chico na disputa política deste ano.

 

Lívia de Lima Monteiro

Redatora.

População de Mirandiba reclama do abandono de prédio público.

DXB (1)

População de Mirandiba reclama do abandono de prédio público municipal. Conforme as fotos enviadas por internauta, podemos ver o que um dia foi uma escola, localizada na zona rural, mais precisamente no Sítio Evanso, que hoje está totalmente abandonada, servindo apenas para sediar uma antena. Uma das funções constitucionais do gestor público é zelar pelo bem público, porém muitos destes ignoram o que diz o ordenamento jurídico e simplesmente deixam o patrimônio público abandonado.DXB (2)

Fonte: SG10

Na ONU, Dilma diz que Brasil vive grave momento, mas vai impedir retrocesso

06ff4ead-d7a3-42af-9625-2fd2c616d75a

A presidenta Dilma Rousseff alertou o mundo nesta sexta-feira (22), em discurso na Organização das Nações Unidas (ONU), para o “grave momento” vivido pelo Brasil por conta do avanço no Congresso de um processo de impeachment sem base legal.

Como a participação da presidenta na cerimônia se deve a assinatura do Acordo de Paris, novo pacto global sobre o clima, Dilma deixou para mencionar a situação política brasileira apenas por um breve momento no fim do discurso.

“Não posso terminar minhas palavras sem mencionar o grave momento que vive o Brasil. A despeito disso, quero dizer que o Brasil é um grande País, com uma sociedade que soube vencer o autoritarismo e construir uma pujante democracia. Nosso povo é um povo trabalhador e com grande apreço pela liberdade. Saberá, não tenho dúvidas, impedir qualquer retrocesso”, disse antes de agradecer ao apoio recebido. “Sou grata a todos os líderes que já expressaram sua solidariedade”.

Fonte: Blog do Planalto e Portal Brasil 

Democracia: o lado certo da história

images (9)

Vivemos dias decisivos para a jovem democracia brasileira. Vivemos tempos que colocam em risco o direito do povo escolher, por eleição direta, quem deve governar o nosso país. São tempos em que a capacidade de diálogo, tolerância e respeito às diferenças políticas está sendo testada ao limite.

Vivemos sob a ameaça de um golpe de estado. Um golpe sem armas, mas que usa de artifícios ainda mais destrutivos como a fraude e a mentira, na tentativa de destituir um governo legitimamente eleito, substituindo-­o por um governo sem voto e sem legitimidade.

Sou de uma geração que lutou muito pela democracia e, apesar de todas as dores e sacrifícios, inclusive a dor extrema da tortura e o sacrifício maior da vida, venceu.

Acredito no Brasil democrático e no povo brasileiro e tenho trabalhado muito para honrar os votos dos mais de 54 milhões de eleitores que me elegeram para governar o Brasil por quatro anos, até 31 de dezembro de 2018.

Neste momento, há um pedido de impeachment contra mim em julgamento no Congresso Nacional. Um pedido de impeachment aberto sem que eu tenha cometido crime de responsabilidade. Aliás, não cometi crime algum, de nenhum tipo.

Os que se pretendem meus algozes é que têm encontro marcado com a Justiça, mais cedo ou mais tarde. Para fugir dela, tentam derrubar um governo que criou leis contra a corrupção, deu transparência à administração pública e sempre apoiou a ação independente da Polícia Federal e do Ministério Público.

Tudo isso faz deste julgamento uma grande fraude. Na verdade, a maior fraude jurídica e política da história de nosso país. Destituir uma presidenta pelo impeachment, sem que ela tenha cometido crime de responsabilidade, é rasgar a Constituição brasileira. Trata-­se de um golpe contra a República, contra a democracia e, sobretudo, contra os votos de todos os brasileiros que participaram do processo eleitoral.

Fazer oposição e criticar meu governo é parte da democracia. Mas derrubar uma presidenta legitimamente eleita, sem que tenha cometido qualquer crime, sem que seja sequer investigada em um processo, não faz parte da democracia.

É golpe!

Não temo investigação de qualquer natureza sobre minha conduta. Jamais me opus ou criei obstáculos a qualquer investigação, sobre quem quer que seja.

Não sou suspeita, não sou investigada, não sou ré, mas querem me derrubar por meio de um impeachment ilegal. Querem me submeter a uma das maiores injustiças que se pode cometer contra alguém: condenar um inocente.

Querem condenar uma inocente e salvam corruptos.

Peço a todas as brasileiras e a todos os brasileiros que não se iludam, nem se deixem enganar. Vejam quem está liderando este processo. Perguntem­-se porque querem tanto me derrubar da Presidência e desrespeitar o voto do povo.

Será que estes que lideram o golpe permitirão que o combate à corrupção continue? Qual a sua legitimidade? O que querem dizer quando anunciam a necessidade de impor sacrifícios à população? O governo de salvação que prometem será para salvar o Brasil ou a eles mesmos?

Respeito os que se opõem a meu governo e gostariam de ver outra pessoa na Presidência. Sei que muitos pensam assim de boa­-fé, porque ainda não perceberam quem são os conspiradores.

As pessoas que pensam e agem de boa-fé, ao contrário dos líderes da fraude golpista, devem entender que não precisam gostar de mim para se opor ao golpe. Basta gostar da democracia. Basta respeitar o eleitor.

Nossa democracia não pode ser violentada. O voto de cada brasileiro e cada brasileira deve ser respeitado. O golpe deve ser impedido, para que o Brasil não retroceda na política, nos direitos, na inclusão.

Derrubar uma presidenta legitimamente eleita não é solução para enfrentar os momentos difíceis que vivemos na economia brasileira. Muito ao contrário: sem a legitimidade concedida pelo voto direto, nenhum governo é capaz de construir saídas democráticas para a crise. Com o golpe, a crise se aprofundaria e se prolongaria.

Faço questão de lembrar que, apesar de toda a crise, as nossas políticas sociais continuam em curso. Os jovens seguem tendo acesso ao ProUni, ao Fies e ao Pronatec. O Bolsa Família, o Mais Médicos, o Minha Casa Minha Vida continuam íntegros e mudando a vida do povo brasileiro. Jamais rompemos ou romperemos com os compromissos por um Brasil justo e inclusivo, de todos os brasileiros e brasileiras. Sabemos que estabilizar a economia e o nível de emprego é tarefa urgente e fundamental, que enfrentaremos com ainda mais vigor, assim que superarmos a crise política.

A inflação felizmente já começou a diminuir. Os consumidores já perceberam isso em seu dia a dia, na conta de luz e no preço dos alimentos. Esta é uma boa notícia porque interrompe a perda de poder de compra das famílias e abre espaço para a redução da taxa de juros.

Estamos vendendo mais produtos para o resto do mundo e, com isso, o superávit em nossa balança comercial é crescente. Nossas reservas internacionais são elevadas e, ao contrário do que tentam mostrar na imprensa, o investimento estrangeiro direto continua vindo para o Brasil.

Os fundamentos da economia são hoje muito melhores do que no tempo em que mandavam no Brasil os líderes do golpe e o FMI. Muitas de nossas dificuldades hoje são obra do golpismo e da aposta política no “quanto pior melhor”, que instabiliza o país desde a eleição.

Acabamos de firmar um acordo com os governadores para alongar o prazo das dívidas estaduais, garantindo um alívio às contas dos Estados neste momento de dificuldades. Isto é muito importante, pois diminuirá os riscos de atrasos de pagamentos do funcionalismo, permitirá a continuidade de serviços fundamentais para a população e até mesmo a retomada ou aceleração de obras.

Enviei ao Congresso uma proposta para ampliar os recursos disponíveis para gastos fundamentais, em especial na área de saúde e educação, e para dar sequência a obras que estão em andamento e a investimentos na área de defesa, fundamentais para nosso futuro. Esta proposta e a renegociação da dívida dos governos estaduais terão, juntas, impacto suficiente para gerar 1 ponto percentual de crescimento no PIB do país.

Tudo isso já está em curso. Sei que precisamos fazer muito mais e, vencida esta batalha contra o golpe, proponho a construção de um pacto nacional.
Proponho um pacto que envolva todos os segmentos da sociedade – todos, sem exceção – para construirmos novas propostas para a retomada do desenvolvimento do Brasil. Propostas que devem ter como premissas a continuidade dos programas sociais e o respeito aos direitos de todos os cidadãos.

O futuro do Brasil está na inclusão social que dinamiza a economia e aprofunda a democracia. Entre as propostas de futuro, faço questão de destacar a necessária e inadiável reforma política, para aumentar a representatividade de nosso sistema, cortar a raiz da corrupção política e democratizar e tornar mais transparente a atividade política.

Faço um apelo aos brasileiros que estarão nas ruas, mobilizados, nos próximos dias, até que o golpe de estado seja derrotado. Acompanhem os acontecimentos com atenção e, sobretudo, com calma e em paz. Peço calma e paz a todos – aos que são contra mim e aos que estão comigo e contra o golpe.

Peço aos deputados federais de todos os Estados e de todas as agremiações políticas, sem distinção ideológica que, no domingo, tomem posição clara em defesa da democracia e da legalidade.

Desejo que suas consciências os aconselhem a votar contra o golpe, contra a interrupção de um mandato conferido pelo povo e contra os enormes riscos que a derrubada de um governo legítimo pode causar. Presto homenagem aos parlamentares de todos os partidos que estão contra o golpe. Chamo à reflexão aqueles que ainda relutam em cerrar fileiras contra o impeachment.

A história, que fará nosso julgamento definitivo, vai honrar a biografia de vocês, tanto quanto vocês estarão honrando seu país ao votar contra um impeachment ilegal. Quem defende a democracia nunca se arrepende.

A democracia é sempre o lado certo da história.

Fonte: Blog do Planalto

Dilma prevê vazamentos seletivos como parte de ‘trama golpista’ para atacar o governo

1

A presidenta Dilma Rousseff voltou a criticar a tentativa de afastá-la do poder nesta quinta-feira (7), explicando que as pressões estão baseadas na ilegalidade, uma vez que ela não cometeu crime de responsabilidade. Dilma destacou saber que nos próximos dias as pressões serão reforçadas, com novos vazamentos de informações à imprensa de forma seletiva, premeditada e direcionada, com o claro objetivo de atacar o seu governo, dentro de uma trama golpista.

“São vazamentos seletivos e oportunistas. Eu já determinei ao senhor ministro da Justiça (Eugênio Aragão) a apuração e responsabilidade por vazamentos recentes. Passou de todos os limites” disse a presidenta no Encontro com Mulheres em Defesa da Democracia, realizados hoje no Palácio do Planalto. “Dilma fica, Cunha sai”, bradavam os presentes.

As destacar que ocorrem vazamentos de dados com o “claro objetivo de criar um ambiente propício ao golpe”, a presidenta ressaltou os argumentos citados como motivo para interromper o seu mandato são ilegais, como já demonstrou a Advocacia-Geral da União (AGU). Na última segunda-feira (4), o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, foi à Câmara e desmontou, uma a uma as acusações, demonstrando que o processo atual não tem base legal, mas política. “Não está escrito que presidente possa sofrer impeachment porque o País passa por dificuldades na economia”, lembrou hoje a presidenta.

Ao defender a legalidade de seu mandato, a presidenta também citou os avanços na igualdade de oportunidades e de gênero para o Brasil conquistados desde o primeiro governo Lula, em 2003.

Segundo a presidenta, neste momento o primeiro passo necessário é acabar com as “pautas-bomba” no Congresso Nacional, prática que vem sendo adotada desde que atual presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), assumiu o posto, em fevereiro de 2015. Dilma acredita que é preciso haver unidade pela aprovação das reformas e a retomada do crescimento do País. Defendeu, ainda, urgente reforma política.

Revista

Dilma também criticou a revista Isto É, que publicou uma reportagem retratando a presidenta como uma mulher descontrolada. Ela lamentou a misoginia presente nesse material. “Querem dizer que mulheres sob pressão ficam descontroladas. Isso é um tipo de tratamento que constitui machismo extremamente banal. Não aceito isso. Nenhuma mulher aceita. Estive três anos presa ilegalmente e sempre mantive o controle, o eixo e principalmente a esperança”, lembrou a presidenta.

A presidenta já demandou que a revista seja processada por crimes contra a honra, além de exigir direito de resposta. “Essa revista vem sistematicamente mentindo, inventando, incitando ódio e intolerância, produzindo uma peça de ficção para ofender a mulher e a presidenta. Na verdade com o propósito de me ofender como presidenta justamente por ser mulher”, ressaltou.

Enfática, a presidenta disse se orgulhar de ser uma mulher brasileira. “Não me acho diferente das mulheres que neste País resistem, batalham e lutam para criar os seus filhos, que lutam muitas vezes sozinhas, enfrentando toda sorte de problemas e que não se descontrolam”, disse. “Não perco o controle, não perco o eixo, não perco a esperança porque eu sou mulher. Não perco o controle porque me acostumei a lutar por mim e pelos que amo, pela minha família e pelo meu País”.

Fonte: Blog do Planalto e Portal Brasil

07/04/16 – Salgueiro-PE: Nota de Falecimento – Convite.

060416odilon3

Esposa: Antônia Pires (Toinha Pires);

Filhos: Odilon; Pedro; Juca; Vaninho; Dênio; Kleyton; Diógenes; Cássia; Jeanne; Darc e Márcia.

Irmãos: Jason; Mario Barros; Nonato e Diva. Genros, noras, sobrinhos, netos e bisnetos de ODILON BARROS ALENCAR E SILVA “Odilon Barros”, entristecidos com seu falecimento, ocorrido nesta quarta-feira, por volta das 22h no Pronto Socorro São Francisco em Salgueiro-PE, convidam, parentes, amigos e público em geral, para o seu sepultamento, previsto para as 17h desta quinta-feira (07). O corpo será velado nas instalações do SAF de onde seguirá no horário marcado, para o cemitério local.

Fonte: Giro do Sertão.

EXCLUSIVO: Flavinho Barros é a nova aposta do PTN, em Salgueiro.

5315
04/04/2016 13:07

Dando sequência às filiações partidárias, o PTN, visando o fortalecimento da sua base e apostando na renovação política, lança Flavinho Barros como pré-candidato a vereador para as Eleições de 2016.
Flavinho Barros é um advogado e empresário bastante conhecido em Salgueiro, decide tomar novos rumos em sua carreira política e conversou com exclusividade com o Portal SG10 e contou detalhes dessa nova fase.
Candidato a vereador em 2012, pelo PTB, ao cargo de vereador, por pouca diferença de votos, Flavinho não conseguiu uma vaga na Câmara de Vereadores e, nem por isso se deixou desanimar e agora em 2016, junto com o PTN, coloca mais uma vez seu nome à disposição.
Com uma família totalmente envolvida com a política, desde os avôs José Ramos e Duda Barros, passando pelo pai Antônio de Duda e o irmão Fábio Lisandro, com Flavinho não poderia ser diferente. Flavinho disse que já existe um desejo na veia de fazer política e que tudo acontece de forma natural.
Questionado sobre o porquê de entrar na carreira política, Flavinho foi direto e afirmou: “Política sempre fez parte da minha vida, desde os movimentos estudantis até os dias atuais. Mesmo neste momento difícil da política não podemos desistir. Acredito que através do trabalho causar mudanças na vida das pessoas, com dignidade, seja muito gratificante.”
Ainda em um dos momentos de sua fala, Flavinho diz que a política precisa de mais transparência e afirmou que tem um desejo: “Coloco mais uma vez meu nome à disposição na tentativa de ser o porta-voz do povo. Acredito que política é a arte de saber ouvir e dialogar. É ouvindo o povo que saberemos as necessidades da nossa comunidade. ” Para Flávio, o atual quadro político de Salgueiro precisa ser renovado.
Filiado até então ao PTB, perguntamos a Flavinho o porquê da filiação ao PTN e sobre os seus desafios nessa nova fase e em sua resposta disse: “Fui convidado para o partido desde o ano passado. O PTN de Salgueiro é um dos partidos mais organizados, com um grande número de filiados, tendo uma grande representatividade social. Além disso, aqui encontro muitos amigos, parceiros de outras campanhas e muita gente com vontade de colaborar com o progresso da nossa cidade. Encontro aqui a política sendo praticada de forma coletiva. Venho para o PTN com o desafio de fortalecer ainda mais o partido. Estou muito feliz com
a receptividade e acolhida dos membros do partido. ”
A apresentação da filiação de Flavinho Barros aconteceu na última reunião partidária do PTN que foi realizada no último dia 30, no Salgueiro Plaza Hotel.

Fonte: Redação SG10

ELIANE ALVES DEIXA A SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE SALGUEIRO/PE E SE COLOCA COMO PRÉ-CANDIDATA À VEREADORA PELO PSB.

12946798_777582529010506_1830175800_o

 

Eliane Alves, ex-secretária de Cultura e Esportes que atualmente exercia o cargo de secretária municipal de Desenvolvimento Social de Salgueiro, pediu exoneração do cargo para se lançar como pré-candidata à vereadora pelo PSB, partido da situação no município.

Em carta emitida para este Blog, Eliane discorre os motivos  pelos quais tomou a decisão de enfrentar uma disputa eleitoral enquanto candidata a vereadora. Veja na íntegra a carta emitida pela ex-secretária:

 

“Sigo em busca de novos desafios e novas formas de fazer.

Escolhi a vida pública porque carrego em mim o gosto de fazer e fazer bem feito. Aprendi, em todos esses anos de serviço, que o segredo de construir o futuro é investir no tempo presente, através de muito trabalho e doação irrestrita ao outro.
Já na adolescência, o sentimento de inquietação com a realidade e de  inconformismo com as injustiças sociais me levaram ao engajamento em grupos de jovens da igreja católica. Era o período de redemocratização política. A democracia engatinhava a passos lentos.
Sabia que na Pastoral da Juventude, com as Comunidades Eclesiais de Base – CEBs, ao lado das irmãs de Vedruna, religiosas de espírito jovem, também inquietas por mudanças, eu poderia dar minha contribuição para uma Salgueiro melhor, consequentemente, para um país mais digno.
Nesse período, a juventude salgueirense encontrou em Cleuza Pereira, professora e catequista, a síntese do sonho coletivo de mudança. Depositamos nela todos os nossos anseios e ideais de justiça.
Estive com ela desde o começo desse sonho e aprendi que valores como honestidade e respeito pelo ser humano são irrenunciáveis.
Aprendi que, algumas situações  exigem de nós firmeza e que é preciso confiar em Deus, nos momentos de adversidades. Aprendi acima de tudo que a luta é árdua, mas os clamores sociais e a possibilidade de melhorar a vida das pessoas, nos encoraja a não fugir à luta.
Desde então, tomo a vida pública como uma missão e assumo todos os desafios com muito amor, seja na assessoria de comunicação dos governos de Cleuza Pereira ou enquanto secretária de Cultura e Esportes e secretária de Desenvolvimento Social, nas gestões de Marcones Libório de Sá, com quem fortaleci a compreensão de que nosso papel, no governo, é servir ao povo e servir com humildade. Com o prefeito Marcones aprendi ainda mais que é trabalho, trabalho, trabalho.
Em cada missão cumprida, no avanço das políticas públicas de Cultura e Esportes ou na ampliação dos serviços de assistência social tive o apoio de muitas mãos, muitas cabeças e muitos corações,  tantos, que seria impossível nominá-los, sem cometer a falha de esquecer alguém. 
Tenho imensa gratidão e carinho por todos os que colaboraram de forma direta ou indireta com o muito que foi feito, mas, ainda, há muito mais a ser realizado.
É por esse motivo, que entrego o meu cargo de Secretária de Desenvolvimento Social. Sigo em busca de novos desafios e novas formas de fazer o que sempre fiz de melhor, que é trabalhar olhando para o povo (e no meio do povo) e saio como pré-candidata a vereadora, certa que tenho a bênção de Salgueiro.
Deixo a todos vocês o meu abraço de companheira incansável de luta e os convoco ao trabalho, por uma Salgueiro cada vez melhor. Por um povo cada vez mais unido e feliz. A batalha está só começando!”

Eliane Alves (PSB/Salgueiro).

Lívia de Lima Monteiro

Redatora.

FRENTE BRASIL POPULAR REALIZOU MANIFESTO EM DEFESA DA DEMOCRACIA EM SALGUEIRO/PE

squarepic_201633120554544Na tarde desta quinta-feira (31), a Frente Brasil Popular realizou manifesto em defesa da Democracia, bem como em apoio à Presidente Dilma e ao Ex-Presidente Lula, na cidade de Salgueiro/PE. Esses manifestos se realizaram em todo o país, com o intuito de mostrar força e contrariedade ao golpe que está na iminência de acontecer.

Em todo o percurso, os manifestantes que correram as principais ruas de Salgueiro, gritavam palavras de ordem contra o impeachment.

Muito se tem discutido por ai que o processo de impeachment não é golpe, pois encontra previsão no ordenamento jurídico brasileiro. Isso é inconteste. Impeachment não é golpe. Mas impeachment sem crime, é GOLPE SIM SENHOR. E é isso que temos visto. É isto que diariamente nossos lares são bombardeados por uma mídia que é tão golpista, que só veicula o que é favorável aos seus próprios interesses. O que vemos é um golpe em curso travestido de ato legal e jurídico, pois não se apresentam fundamentos que respaldem a condução deste processo.

Ademais, o mais discrepante, e diga-se de passagem, o mais preocupante é poder observar quem conduz, quem articula tal processo: os maiores corruptos do nosso país. Aqueles que trazem em sua bagagem política, muito além dos maiores escândalos políticos do Brasil. Trazem em seu bojo as maiores “varridas para debaixo do tapete”. Então, não! Não se pode dar o título de anti-corrupção à um ato conduzido por corruptos. Não se vislumbra a legalidade de um ato dessa natureza, quando quem o conduz, tem o nome mais sujo que “pau de galinheiro.” Impeachment conduzido e articulado por corruptos não é legal, É GOLPE!

 

 

Lívia de Lima Monteiro

Redatora.